Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha

Entretenimento

  1. Entrevista
  2. LusoPodcast
  3. Foto do Mês

Juntos somos Portugal - Eleições Presidenciais 2021



Prossegue, em plena pandemia e tempo de confinamento, a campanha eleitoral para as presidenciais do próximo dia 24 deste mês. Portugal e os portugueses assistem, com apatia a uma campanha, também ela fora do normal; enfadonha, insípida, desnaturada! Com mais de meia dúzia de candidatos, num bracejar inútil, descabido, fútil... Desnecessário e atentatório aos valores da liberdade, do direito e da democracia! Alguns, pela natureza das coisas e não das causas, sujeitam-se, envergonham, rastejam. A roçar o ridículo, apesar de sabermos que o debate de ideias é fundamental e muito salutar, numa sociedade normal, amadurecida e adulta. Assistimos a um teatro que não dignifica, nem promove, as instituições e a própria democracia, na sua essência e desempenho.

A tudo aquilo que vemos e ouvimos acrescem outras situações, que merecem indignação e repúdio. Aos portugueses que residem no estrangeiro, não lhes foram dados os meios e as necessárias condições para votar.

Numa desorganização, quase programada, tal é o desinteresse da nação sobre a participação cívica de toda essa gente, com direitos de cidadania iguais. E se a dona abstenção já era elevadíssima, desta vez será  raínha, o que deveria provocar em todos, uma séria reflexão e tomada de consciência, no sentido da mudança e adaptação, que inclui  a possibilidade do voto electrónico, que muitos refutam; haverá medo do voto massivo dos portugueses da diáspora? Há quem acredite que sim!

Vamos voltar a ter um presidente, igual a si mesmo! Que se recandidata, na base da tragédia pandémica, segundo os seus próprios dizeres, de uma situação extraordinária! Marcelo Rebelo de Sousa, abarca a preferência de uma alargada maioria! E pode contar, paralelamente, com o maior número de abstenções, também devido à situação de confinamento e restrições. Da campanha e tempo de esclarecimento, pouco ou nada se aprendeu! Portugal vê-se hoje confrontado com desafios muito diferentes daqueles que se colocavam, ainda recentemente.

Somos nós quem tem a obrigação de transformar Portugal, nunca esquecendo que a liberdade e a igualdade são faces da mesma moeda, chamada desenvolvimento e prosperidade. Temos o dever cívico de  cumprir esse desígnio.

Com vontade superior, sem dogmas ou vícios, nem superioridades morais, venham elas de onde vierem. Importa ganhar o futuro, num tempo e circunstâncias adversas, mas com a certeza de se poder vencer! Por Portugal e o seu povo, por cada um de nós e pelos outros. Juntos somos Portugal; ontem, hoje e sempre!

Luso.eu - Jornal das comunidades
António Fernandes
Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor
Lista dos seus últimos textos

Adicionar o seu comentário aqui!

TEMOS NO SITE

Temos 224 visitantes e 0 membros em linha

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Não existem eventos no calendário
Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31

News Fotografia

Se você viu, o seu cliente também verá!