Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Vinte e cinco 'bloggers' portugueses reúnem em livro "Viagens de uma Vida"

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

(Lusa) – Vinte e cinco ‘bloggers’ de viagem portugueses contam as “Viagens de uma Vida” num livro a lançar na terça-feira e que, numa altura em que a pandemia condiciona as deslocações ao estrangeiro, promete levar os leitores aos cinco continentes.

“Este livro leva-nos a 25 países, nos cinco continentes, e proporciona-nos a oportunidade de, neste verão, enquanto saboreamos os encantos de Portugal, idealizarmos e sonharmos - sem confinamento - com as nossas próximas viagens”, resume o presidente da Associação de Bloggers de Viagem Portugueses (ABVP), Filipe Morato Gomes, citado num comunicado.

Num momento em que os ‘bloggers da ABVP andam a explorar o país na iniciativa #euficoemportugal, a obra será lançada oficialmente na terça-feira na vila de Castro Laboreiro, no concelho de Melgaço, num evento a transmitir ‘online’, pelas 13:00, no Facebook da associação, em https://www.facebook.com/abvppt/.

O mote é "Venha visitar Portugal... mas leve na bagagem o resto do Mundo!".

Segundo a ABVP, o livro relata “as viagens mais marcantes das vidas” dos 25 ‘bloggers’, numa “seleção de duas dezenas e meia de olhares - distintos e variados - sobre destinos espalhados pelos quatro cantos do mundo e que desafiam a plenitude dos sentidos”.

“Vai da alegria colorida do Festival Holi, em Varanasi, Índia, à angustiante luta pela sobrevivência no campo de refugiados Rohingya em Cox’s Bazar, no Bangladesh. Passa pela sensação de liberdade e pequenez que emana da mítica Ruta 40, no Sul da Argentina, como pelas paisagens inóspitas da Gronelândia e de Madagáscar”, avança.

Para Filipe Morato Gomes, autor do blogue Alma de Viajante, “viajar é uma inigualável forma de crescimento e enriquecimento pessoal, despertando um saudável espírito de aventura e reforçando o imenso prazer da partilha”.

“E é com essa certeza que a ABVP, que a 01 de março celebrou o seu primeiro ano de existência, decidiu partilhar esses valores, através da publicação de um livro que pretende celebrar a viagem e tudo o que esta pode fazer por nós e pelos outros”, acrescenta.

Para o líder da associação, as páginas do livro, complementadas com um encarte de fotografias ilustrativas, “são um hino ao ato de viajar e à vida” e “a celebração da diversidade cultural e da salutar comunhão entre povos”.

E desafia: “Tal como nós, que o leitor se sinta inspirado para partir, explorar e ‘descobrir-se’ ”.

Citado no comunicado, o fundador do blogue ‘BornFreee” e coautor da obra, Rui Barbosa Batista, afirma: “Acredito que, através do olhar que vertemos em palavras, os portugueses vão fazer uma belíssima viagem em torno deste nosso apaixonante planeta, percebendo a riqueza das suas diferenças culturais e sociais”.

“O livro fala de lugares, mas também de medos que são superados, de desconfortos que são tornados desafios, de liberdades incondicionais que só o longe e o atirar-nos no desconhecido nos permitem, assim nos consigamos soltar de nós mesmos e das nossas amarras físicas e psicológicas”, afirma.

Manuel Andrade, da Idioteque, que edita a obra, refere por sua vez que “o livro narra viagens e experiências inesquecíveis da vida de cada um dos viajantes”, sendo, “no seu todo, inspiradora e mundividente, transportando em si uma multiplicidade de lugares, sentimentos, odores, tons e aventuras que agarram desde o primeiro parágrafo”.

Segundo adianta a ABVP, o segundo livro da série, a lançar em 2021, será inteiramente dedicado a Portugal, como epílogo da iniciativa #euficoemportugal.

A ABVP é uma organização sem fins lucrativos cuja missão é promover o desenvolvimento profissional dos ‘bloggers’ que atuam no segmento de turismo, ao mesmo tempo que estimula a criação de relações éticas e transparentes com os leitores e com eventuais parceiros ligados ao turismo.

Conta, atualmente, com 55 dos maiores ‘bloggers’ de viagem portugueses como associados, propondo-se “valorizar o [seu] trabalho aos olhos do mercado e entidades externas; contribuir para capacitar os associados com ferramentas e conhecimentos para que possam ser cada vez mais competentes em cada uma das múltiplas vertentes do seu trabalho quotidiano; e autorregular, estabelecendo um código de ética a seguir por todos os associados, em nome da transparência para com os leitores e eventuais parceiros”.

Para ver mais textos, por favor clique no nome do autor.


RECOMENDADOS PARA SI

Últimos Tweets

Pinto da Costa com conversa marcada com Sérgio Conceição para falar da renovação https://t.co/fQ6zZREOq8
CDS questiona Governo sobre falta de transporte escolar para crianças e jovens com deficiência https://t.co/cZVzFizqS9
Passados cinco anos, Maria Manuel Branco está de saída do cargo e de regresso a Portugal https://t.co/3MxuBjwGU9
Follow Jornal das Comunidades on Twitter