Amizade sentimento de integralidade



Se há sentimentos essenciais na vida de uma pessoa, a amizade, entre outros, constitui um bem supremo que, depois de obtida, exige total compreensão, abdicação de imposições de uma parte sobre a outra, de adaptação e aceitação, tanto das qualidades quanto dos defeitos.

A amizade pressupõe exigência e rigor permanentes, sabedoria para vencer dificuldades, intrigas e interesses obscuros.

A amizade é um sentimento sempre em progressão, em aprofundamento permanente, numa perspectiva dinâmica, inovadora, aberta, leal e resguardada. Ela, a amizade, deve ser preservada na cumplicidade dos que se consideram verdadeiros amigos, dos que comungam um sincero “Amor-de-Amigo”.

Uma amizade iniciada e desenvolvida nos valores: solidariedade, da lealdade, da transparência, da cumplicidade, da gratidão e da defesa intransigente do amigo; na exigência do rigor, do frontalidade e da boa formação humana, em quaisquer circunstâncias, muito dificilmente será destruída. O contrário poderá levar à descrença, à infelicidade, à mágoa que se instala no coração do amigo que se sente não correspondido, onde não existe reciprocidade, onde as palavras, as promessas, os pensamentos não são acompanhados dos respetivos e consequentes atos.

Os amigos verdadeiros aceitam-se, decidem em comum, o que é bom para os dois, ambos devem ceder, perdendo e ganhando, desde que o objetivo final seja sempre a amizade sincera, leal, virtuosa, solidária e cúmplice. Devem prevalecer sempre sentimentos nobres como generosidade, carinho, humildade, solidariedade, enfim, a felicidade dos amigos.

Se há sentimentos essenciais na vida de uma pessoa, a amizade, entre outros, constitui um bem supremo que, depois de obtida, exige total compreensão, abdicação de imposições de uma parte sobre a outra, de adaptação e aceitação, tanto das qualidades quanto dos defeitos. A amizade pressupõe exigência e rigor permanentes, sabedoria para vencer dificuldades, intrigas e interesses obscuros.

A amizade é um sentimento sempre em progressão, em aprofundamento permanente, numa perspectiva dinâmica, inovadora, aberta, leal e resguardada. Ela, a amizade, deve ser preservada na cumplicidade dos que se consideram verdadeiros amigos, dos que comungam um sincero “Amor-de-Amigo”.

Uma amizade iniciada e desenvolvida nos valores: solidariedade, da lealdade, da transparência, da cumplicidade, da gratidão e da defesa intransigente do amigo; na exigência do rigor, do frontalidade e da boa formação humana, em quaisquer circunstâncias, muito dificilmente será destruída. O contrário poderá levar à descrença, à infelicidade, à mágoa que se instala no coração do amigo que se sente não correspondido, onde não existe reciprocidade, onde as palavras, as promessas, os pensamentos não são acompanhados dos respetivos e consequentes atos.

Os amigos verdadeiros aceitam-se, decidem em comum, o que é bom para os dois, ambos devem ceder, perdendo e ganhando, desde que o objetivo final seja sempre a amizade sincera, leal, virtuosa, solidária e cúmplice. Devem prevalecer sempre sentimentos nobres como generosidade, carinho, humildade, solidariedade, enfim, a felicidade dos amigos.

 

A nossa missão

Comunidades

28-maio-2024

Juventude Portuguesa de Bruxelas participa na maratona …

No passado domingo, 26 de Maio, a associação desportiva sem fins lucrativos participou pela primeira vez na Maratona dos 20Km d

26-maio-2024

Projeto Os 230 encontra-se com jovens em …

O projeto Os 230 organizou este sábado um encontro entre jovens no Café Portugal, para um debate informal sobre os maiores desa

Boletim informativo

FOTO DO MÊS

We use cookies
Usamos cookies no nosso site. Alguns deles são essenciais para o funcionamento do site, enquanto outros nos ajudam a melhorar a experiência do utilizador (cookies de rastreamento). Você pode decidir se permite os cookies ou não. Tenha em atenção que, se os rejeitar, poderá não conseguir utilizar todas as funcionalidades do site.