Colocámos cookies no seu computador para melhorar a sua experiência no website. Ao utilizar o site, está a concordar com o seu uso. Ler mais

Lusoproductions  has placed cookies on your computer to help improve this site. By using this site, you are consenting to its usage. Ler mais

Votos do utilizador: 0 / 5

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 

Na passada terça-feira (9 de maio), a “circulação de pessoas – evolução e perspetivas ao longo da História”, foi o tema central das Jornadas de História e Arqueologia organizadas pelo Núcleo de Estudantes de História e Arqueologia da Universidade de Évora, uma instituição de referência do ensino superior público português.
 
Legenda - Durante a sua intervenção nas jornadas em Évora, moderadas pela professora catedrática Fátima Nunes, o historiador Daniel Bastos (dir.) descreveu o fotógrafo Gérald Bloncourt como o guardião da memória e o cronista visual da emigração portuguesa para França nos anos 60. O investigador João Brigola (esq.) realçou a importância dos livros de viagem para o estudo das mentalidades e mobilidades.
 
Legenda – Da dir. para a esq.: professora Filomena Barros, o historiador Daniel Bastos, os docentes Fátima Nunes e João Brigola, e os investigadores João Paulo Salvado e Francisco Mangas
A iniciativa, que decorreu no Palácio do Vimioso, e envolveu alunos e docentes da instituição académica, contou entre os oradores convidados, com a professora Filomena Barros que abordou a “Mobilidade (s): os Muçulmanos no Reino de Portugal”, os investigadores João Paulo Salvado e Francisco Mangas que destacaram as “Elites mercantis no Portugal Moderno: entre o reino e o império”, o docente João Brigola que analisou “O privado que se faz público – viajantes e livros de viagem em Portugal (sécs. XVIII e XIX), o historiador Daniel Bastos que falou sobre “Gérald Bloncourt – o fotógrafo que imortalizou a emigração portuguesa para França nos anos 60”, o arqueólogo António Carlos Silva que assinalou “A Gruta do Escoural, um marco nas rotas migratórias pré-históricas”, e a investigadora Leonor Rocha que expôs os “Movimentos de Populações e/ou espólios na Pré-história com base nos monumentos funerários”.   
O encontro multidisciplinar que cruzou na academia alentejana vários olhares sobre o tema da mobilidade e migrações, uma temática de premente relevância no contexto atual, procurou assim aprofundar e dar a conhecer diferentes estudos e investigações que têm sido realizados sobre o fenómeno migratório que constitui uma constante estrutural da história portuguesa.
Pub


Conecte-se

Se deseja inscrever-se na nossa newsletter, Digite seu endereço de e-mail.