Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
terça-feira, 21 setembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Cientista Elvira Fortunato premiada pela Comissão Europeia por primeiro ecrã transparente



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) - A engenheira de materiais e investigadora Elvira Fortunato, "mãe" do transístor de papel, foi hoje distinguida pela Comissão Europeia com o Prémio Impacto Horizonte 2020, pela criação do primeiro ecrã transparente com materiais ecossustentáveis.

O prémio, no valor de 10 mil euros, distingue projetos científicos financiados por fundos europeus e cujos "resultados tiveram impacto na sociedade", disse à Lusa a investigadora, que dirige o Cenimat - Centro de Investigação de Materiais, da Universidade Nova de Lisboa, da qual é vice-reitora.

Elvira Fortunato foi a única portuguesa premiada, entre outros cientistas distinguidos de uma lista de 10 finalistas.

O anúncio dos cinco vencedores da edição deste ano do Prémio Impacto Horizonte, a segunda desde 2019, foi feito em Bruxelas, Bélgica.

O projeto "Invisible" (Invisível), com o qual a investigadora portuguesa foi premiada, consistiu no desenvolvimento do primeiro ecrã transparente a partir de um material semicondutor de baixo custo, não degradável e que produz melhores resultados, o óxido de zinco, que entra na composição de pomadas para bebés ou protetores solares.

A tecnologia, patenteada pela diretora do Cenimat e pela "gigante" eletrónica Samsung, é aplicável a telemóveis, televisores, computadores ou 'tablets', permitindo obter imagens de maior resolução.

Segundo Elvira Fortunato, pioneira na eletrónica transparente, o projeto representou uma "revolução na área dos materiais semicondutores", com recurso a "tecnologias amigas do ambiente", que não desperdiçam tanta energia.

O "Invisible" foi financiado em 2,25 milhões de euros pelo Conselho Europeu de Investigação, agência da Comissão Europeia que apoia a investigação científica, nomeadamente através de bolsas.

O projeto foi desenvolvido durante cinco anos, entre 2009 e 2014.

O Prémio Impacto Horizonte destina-se a cientistas que lideraram projetos financiados pelo 7.º Programa-Quadro (2007-2014) e pelo Programa Horizonte 2020 (2014-2020).

As candidaturas finalistas foram avaliadas por um júri independente.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 168 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

Seg. Ter. Qua. Qui. Sex. Sáb. Dom.
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
26
27
28
29
30
31