Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
sábado, 04 dezembro 2021

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Sondagem

Os vacinados devem ter prioridade no acesso aos cuidados de saúde em relação aos não vacinados?
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
  • Votes: (0%)
Total Votes:
First Vote:
Last Vote:

Patriarca de Lisboa alerta que a Páscoa se experimenta “na caridade praticada”



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

O cardeal patriarca de Lisboa frisou hoje que a Páscoa de Cristo “é uma realidade total e englobante” que se experimenta “na caridade praticada”.

Manuel Clemente, na homilia que proferiu na missa pascal na Igreja de Santa Maria Maior, Sé de Lisboa, chamou a atenção para “os inúmeros vazios deste mundo, estes mesmos do tempo” atual de pandemia de covid-19.

Estes vazios, porém, segundo o cardeal patriarca, são agora “preenchidos por amor concreto e bom apoio, vencendo solidões, prevenindo e curando a pandemia, garantindo a educação e o trabalho e em tudo o mais que urgente for”, e tornando a celebração da Páscoa “um enorme compromisso”.

“Desejar Santa Páscoa é impelir ao anúncio e à missão”, disse o também presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), sublinhando que “preenchendo a Humanidade que salvou, o ressuscitado refulge nestes dias no olhar e nos gestos de muitíssimos em todos os domínios da vida eclesial ou pública, da saúde ao trabalho e a tantos serviços indispensáveis, na família e na sociedade em geral, que respeitam e sustentam as vidas em todo o seu arco natural e face à pandemia” que se sofre.

Segundo Manuel Clemente, “quando a solidariedade de facto se demonstra, é Cristo que aí mesmo se depara”.

“Assim prometeu e assim cumpre, referindo-se aos que não desamparam os peregrinos, os emigrantes de hoje em dia, os sem agasalho, os doentes e os presos”, lembrou o cardeal, deixando também uma palavra para o tempo de oração familiar: “quando a oração redobra as família, é também de ressurreição que se trata, pois tudo é vida garantida, quando se sobe com Cristo para o Pai”.

No final da celebração, o cardeal patriarca saiu da Sé e, junto à entrada do templo, deu, “de forma extraordinária”, a bênção com o Santíssimo Sacramento “sobre a cidade, sobre a diocese e sobre todos quantos, privados da participação física da celebração nas suas comunidades”, acompanharam a transmissão televisiva, “concedendo a indulgência plenária, segundo as condições estabelecidas pela Santa Sé”.

Face à pandemia, a CEP determinou a “suspensão da celebração comunitária” da missa “até ser superada a atual situação de emergência”, pelo que as cerimónias litúrgicas estão a ocorrer “sem a participação física dos fiéis (…) no cumprimento das deliberações das autoridades civis e de saúde”.

O novo coronavírus, responsável pela pandemia de covid-19, já provocou mais de 107 mil mortos e infetou mais de 1,7 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Em Portugal, segundo o balanço feito pela Direção-Geral da Saúde no sábado, morreram pelo menos 470 pessoas em quase 16 mil casos de infeção com o novo coronavírus.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 561 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia