Faça login na sua conta

Usuário *
Senha *
Lembre de mim

Crie a sua conta aqui!

Os campos marcados com um asterisco (*) são obrigatórios.
Nome *
Usuário *
Senha *
Verifique a senha *
Email *
Verificar e-mail *
Captcha *
Reload Captcha
segunda-feira, 17 janeiro 2022

Por favor habilite seu javascript para enviar este formulário

Trabalhadores dos transportes urbanos de Faro cumprem primeiro de quatro dias de greve



O luso.eu Jornal das comunidades é gratuito mas quero ajudar!

(Lusa) – Os trabalhadores dos transportes rodoviários urbanos da cidade de Faro cumprem hoje o primeiro de quatro dias de greve para reivindicarem aumentos salariais e alterações contratuais, promovendo também um plenário junto às instalações da empresa.

A decisão de avançar para a greve, entre hoje e sexta-feira, foi tomada num plenário de trabalhadores realizado em 13 de outubro, no qual 80% dos 40 trabalhadores da empresa PXM (Próximo) Transportes Urbanos de Faro se pronunciou a favor da paralisação, segundo o Sindicato dos Trabalhadores dos Transportes Rodoviários e Urbanos de Portugal (STRUP).

Em declarações à Lusa, o coordenador regional no Algarve do STRUP, Paulo Afonso, explicou que os trabalhadores reivindicam “um aumento do salário base para os 750 euros, a revisão do tempo máximo de descanso de três para duas horas, a reposição das escalas de serviço e a integração total do subsídio do agente único no salário”.

Os trabalhadores também “querem ver integrada no salário a totalidade do subsídio do agente único e não apenas 5% dos 25% da hora normal de trabalho”, precisou aquele dirigente sindical, esclarecendo que em causa está “um subsídio que os motoristas recebem por compensação pela cobrança de bilhetes, desde que foram extintos os cobradores bilheteiros”.

A paralisação visa também exigir que o período máximo de “descanso não remunerado seja reduzido de três para duas horas, bem como a reposição das escalas com apenas duas horas de descanso máximo”.

Paulo Afonso adiantou ainda que, por ocasião do primeiro dos quatro dias de greve da PXM, o sindicato vai promover um plenário junto às instalações da empresa, na baixa de Faro, na qual esperam poder contar com a participação de trabalhadores de outras das empresas do Grupo Barraqueiro, ao qual a empresa pertence.

Além da PXM, integram também o Grupo Barraqueiro SGPS (Sociedade Gestora de Participações Sociais), no Algarve, as empresas Translagos, Frota Azul e Eva Transportes.


Adicionar o seu comentário aqui!

luso.eu Jornal Comunidades

TEMOS NO SITE

Temos 371 visitantes e 0 membros em linha

Não perca as promoções e novidades que reservamos para nossos fiéis assinantes.
O seu endereço de email é apenas utilizado para lhe enviar a nossa newsletter e informações sobre as nossas actividades. Você pode usar o link de cancelamento integrado em cada um de nossos e-mails a qualquer momento.

A SUA PUBLICIDADE AQUI?

EVENTOS ESTE MÊS

News Fotografia