Esta publicação é da responsabilidade exclusiva do seu autor.

Covid-19: 860 vítimas mortais da doença em Portugal residiam em lares

Convide os seus amigos

Estrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativaEstrela inativa
 


(Lusa) - Desde o início da pandemia da covid-19 em Portugal, em 02 de março, morreram 860 pessoas que residiam em lares, representando quase 40% do total dos óbitos no país, segundo dados divulgados hoje pela diretora-geral da Saúde.

Do total das 860 vítimas, 349 residiam na região Norte, 333 na região de Lisboa e Vale do Tejo, 152 na região Centro, 20 no Alentejo e seis ao Algarve, precisou Graça Freitas na conferência de imprensa de atualização de informação relativa à infeção pelo novo coronavírus, que causa a doença Covid-19.

Sobre as 21 mortes ocorridas nas últimas 24 horas, Graça Freitas adiantou que 10 ocorreram na região Norte, nove na região de Lisboa e Vale do Tejo e dois na região Centro.

“As idades destas pessoas foram entre 64 anos, o mais novo, e 97 anos, a pessoa mais velha”, sendo que 15 eram homens e seis mulheres.

Vinte destas pessoas morreram no hospital, onde estavam internadas, e uma faleceu no lar onde estava a residir, lamentou Graça Freitas.

Portugal regista hoje 2.608 novos casos de infeção com o novo coronavirus, o valor diário mais elevado desde o início da pandemia de covid-19, e 21 mortos, segundo o boletim epidemiológico da Direção-Geral da Saúde (DGS).

É o terceiro dia consecutivo que Portugal tem mais de dois mil novos casos, após os 2.072 registados na quarta-feira e os 2.101 na quinta.

Desde o início da pandemia, Portugal já registou 2.149 mortes e 95.902 casos de infeção, estando ativos 37.697 casos, mais 1.602 do que na quinta-feira.


RECOMENDADOS PARA SI