Trabalhadores Bancários: Les Uns et les Autres



Os trabalhadores bancários enfrentam mudanças profundas e desafios crescentes

Nos últimos anos, aprofunda-se a segmentação entre os trabalhadores bancários, com os veteranos a gozar de benefícios e segurança no emprego, embora com perda contínua de benefícios, enquanto os recém-chegados encaram salários mais baixos e precariedade. A rotatividade aumenta, refletindo um setor em reestruturação e sob pressão. Os ex-bancários procuram novos rumos fora do ambiente tóxico da banca, sinalizando uma transição marcante.

3 minutos de leitura

Nos últimos anos, tem sido notório o surgimento de uma segmentação entre os trabalhadores bancários, refletindo as mudanças e desafios enfrentados por aqueles que dedicam as suas vidas à profissão. Por um lado, os trabalhadores com mais de 20 ou 30 anos com contratos mais conservadores, aguardam a chegada da passagem à reforma, beneficiando do crédito à habitação bonificado e um subsistema de saúde abrangente, direitos que, entretanto, foram sendo perdidos e uma reforma pouco digna para tantos anos de trabalho.

 Nova realidade

No entanto, o cenário atual apresenta uma realidade diversa para os que ingressam atualmente no setor financeiro, dando origem a uma nova classe bancária.

 Os novos trabalhadores da banca, muitas vezes contratados em regime de outsourcing ou através de contratos a termo, deparam-se com salários menos atrativos diante dos desafios impostos pela profissão. A capacidade de retenção de talentos é menor e a rotatividade desses trabalhadores aumenta mesmo para fora do setor financeiro, evidenciando uma nova dinâmica de mercado que contrasta com a estabilidade e segurança outrora associadas à carreira bancária, que agora pouco tem para oferecer.

 Noutros tempos, o emprego na banca era sinónimo de uma trajetória vitalícia, beneficiando os profissionais de vantagens significativas. No entanto, o panorama atual reflete uma realidade marcada pela diminuição de balcões e postos de trabalho, exigindo dos bancários uma crescente pressão laboral. O setor financeiro enfrenta processos de reestruturação intensos, procurando adaptar-se a novos paradigmas e modelos de negócio que muitas vezes entram em conflito com os valores e a identidade dos seus trabalhadores.

 É nesse contexto que surgem testemunhos de ex-bancários que optaram por trilhar caminhos distintos, afastando-se do ambiente de pressão e competitividade muitas vezes tóxico. Alguns encontram na consultoria a oportunidade de explorar novas áreas de atuação e moldar seu futuro profissional e outros na atividade imobiliária longe do universo bancário.

A transição para a vida após a banca, seja através da abertura de um negócio próprio, da gestão de fundos de pensões ou de atividades relacionadas ao mercado imobiliário, reflete a necessidade de se adaptar e procurar novas oportunidades face à transformação do setor financeiro. Os desafios e as transições na vida dos trabalhadores bancários tornam-se cada vez mais evidentes, com a pressão pelos resultados elevados e a redução de custos impactando diretamente no ambiente de trabalho e nas perspetivas de futuro dos profissionais.

Os trabalhadores bancários enfrentam novos desafios, passam por duras transições e deram origem a uma nova segmentação de trabalhadores financeiros. O contrato de trabalho tem vindo a sofrer alterações, o regime de outsourcing volta a impor-se quebrando com a segurança no trabalho, o modelo de contratação via estágio universitário. Entretanto perderam-se benefícios, aumentou a rotatividade e tornou-se difícil a retenção de trabalhadores. Continua a redução de pessoas e balcões, aumenta a pressão no trabalho e a banca em Portugal tem sido alvo de sucessivas reestruturações, criando um clima de mudança contínua.

A nossa missão

Comunidades

28-maio-2024

Juventude Portuguesa de Bruxelas participa na maratona …

No passado domingo, 26 de Maio, a associação desportiva sem fins lucrativos participou pela primeira vez na Maratona dos 20Km d

26-maio-2024

Projeto Os 230 encontra-se com jovens em …

O projeto Os 230 organizou este sábado um encontro entre jovens no Café Portugal, para um debate informal sobre os maiores desa

Boletim informativo

FOTO DO MÊS

We use cookies
Usamos cookies no nosso site. Alguns deles são essenciais para o funcionamento do site, enquanto outros nos ajudam a melhorar a experiência do utilizador (cookies de rastreamento). Você pode decidir se permite os cookies ou não. Tenha em atenção que, se os rejeitar, poderá não conseguir utilizar todas as funcionalidades do site.